Siga-me por email

domingo, 29 de janeiro de 2012

Todo baixinho tem um aliado


Muito NERD mesmo !!!!


Isto é de verdade mesmo ... Estacionamento VW


sábado, 28 de janeiro de 2012

Papo de estagiário - Vida de Programador


Oportunidade OSS


Analista Técnico de Suporte OSS

CARGO: Analista Técnico de Suporte OSS

DESCRIÇÃO: 

O profissional atuará com administração dos sistemas aplicativos de suporte à operação (OSS) e configuração desses sistemas, monitoramento do uso dos sistemas pelos usuários, análise de incidentes e solicitações de atendimento de chamados remotos e em campo, suporte ao usuário por telefone ou local em relação aos sistemas, análise de problemas e sugestões de melhoria, gerar relatórios gerenciais, ministrar apresentações sobre os sistemas, gerência de configuração e controle de versão, criação e atualização de processos e procedimentos.

ATRIBUIÇÕES:

- Administrar e configurar os sistemas de suporte à operação;
- Monitoramento do uso dos sistemas pelos usuários;
- Prestar atendimento aos usuários;
- Registrar os chamados;
- Atuar tecnicamente nos problemas reportados;
- Escalar problemas críticos;
- Monitorar os chamados que ainda não foram resolvidos;
- Encerrar os chamados solucionados;
- Consultar o fornecedor e a equipe interna de tecnologia para soluções de dúvidas técnicas ou processuais que não estejam descritas nas ferramentas de suporte à operação ou para casos não solucionados;
- Atender e solucionar ou direcionar os problemas para as áreas competentes;
- Fazer uso das ferramentas de suporte à operação para propor as soluções aos casos reportados pelo usuário;
- Trabalhar em conformidade com os objetivos e com as ações estabelecidas, sugerindo melhorias;
- Gerar relatórios gerenciais, conforme a demanda da gerência de operações;
- Ministrar apresentações sobre os sistemas, quando requerido;
- Gerência de configuração e controle de versão;
- Fazer os registros no sistema conforme os processos e procedimentos estabelecidos;
- Documentar as ações.

REQUISITOS:

Formação técnica em informática, análise de sistema ou cursos similares.
Conhecimentos em pacote Office (Excel e Powerpoint).
Administração e configuração de sistemas.
Atendimento aos usuários.
Gerência de configuração e controle de versão.
Disponibilidade para início imediato.

REMUNERAÇÃO: A combinar.

EMPRESA: TMS - Trade Marketing Solutions, empresa do Grupo WRR.

CIDADE: São Paulo/SP (Itaim Bibi)

Os interessados devem enviar seu currículo atualizado para carlos.nasser@grupowrr.com.br ou nathalia.guimaraes@tmssolution.com.br.

Oportunidades SST

Repassando


Analista Programador Pleno
Linguagens de programação: VB6, ASP e .NET
Banco de dados: SQL Server
Engenharia de Software: Documentação UML
Idiomas: Inglês e Espanhol (mínimo em nível básico)
Diferenciais: Experiência com ERP,  BI e teste de software
Experiência mínima: 3 anos
Local de Trabalho: Campinas

Analista de Suporte
Formação na área de exatas (Ciência da Computação, Engenharia da computação, Analise de Sistemas ou similar)
Conhecimento de parametrização e configuração dos modulos Nucleus, Liber, Fluxus, Saldus, Labore, Chronus e Gerador de Relatórios do ERP TOTVS RM
Competências comportamentais: Paciente (Irá atender pessoas de mais idade e pessoas sem muita instrução) e boa comunicação.
Local de Trabalho: São  Paulo.

Estágio para as áreas de Sistemas, Infraestrutura de TI e Consultoria.
Profissionais com Ensino Superior em andamento em Ciência da Computação, Tecnologia da Informação,  Engenharia da Computação ou Análise de Sistemas.
Carga horária: 30 horas semanais.
Local de trabalho: Campinas ou São Carlos.

Analista ERP
Ensino Superior completo em Ciência da Computação, Tecnologia da Informação,  Engenharia da Computação ou Análise de Sistemas.
Boas noções de parametrização de processos de Faturamento, Materiais e Financeiro do ERP TOTVS Protheus.
Programação avançada em ADVPL com conhecimento em personalizações do ERP Protheus.
Conhecimento em TOTVS RM será um diferencial.
Local de Trabalho: Campinas (com disponibilidade para viagens)


Estagiária Marketing/ Comercial
Profissionais com ensino superior em andamento em Administração ou Marketing.
Atuará apoiando a área comercial e na prospecção de novos clientes.
Local de Trabalho: Campinas

Enviar CV para juliana.momoe@sstnet.com.br , colocar no assunto o título da vaga e mencionar a pessoa que indicou, ok?

Oportunidade Desenvolvedor Java

portunidade para trabalhar em uma empresa multinacional de tecnologia, líder em soluções e serviços para diferentes setores que está presente em mais de 100 países e possui mais de 30 mil funcionários.

O local de trabalho fica na região do Centro de São Paulo (próximo ao metrô República) e a forma de contratação é como PJ.

Desenvolvedor Java PL/SR
  • WebCenter (Portlet, Portal, CMS, Weblogic, JDeveloper);
  • JAVA  (JPA 2, JSF 1.2, EJB 3, JAX-WS);
  • Frameworks (Primefaces, Spring, JUnit, EasyMock);
  • Bean Validation e XML Schema (XSD);
  • Design Patterns e UML;
  • Ferramentas(Maven, Eclipse);
  • Oracle SQL ANSI;
Local de trabalho: Centro de São Paulo (próximo ao metrô República – linha vermelha)
Forma de contratação: PJ

Caso haja interesse, por favor enviar CV atualizado e a pretensão salarial como PJ.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Oportunidade Analista de Projetos Sênior - Ribeirão Preto


Vaga – Analista de Projetos Sênior – Ribeirão Preto/SP

Requisitos:

·   Formação superior preferencialmente na área de tecnologia e ciências da informação (Ciências da Computação, Engenharia de Computação, Gestão em Tecnologia da Informação, Sistemas de Informação, Ciências da Informação) ou Administração de Empresas ou Contabilidade.
·         Pós-graduação ou cursos na área de gerenciamento de projetos.
·         Certificação PMP é desejável, mas não obrigatória.
·         Conhecimento das boas práticas de gerenciamento de projetos do PMBOK (PMI) e SCRUM.
·         Conhecimentos de Project e Project Server.
·         Inglês intermediário.

Experiências:
·         Experiência prévia de 5 ou mais anos em empresas com PMO e processo de gerenciamento de projetos maduro baseado nas boas práticas do PMBOK.

Características comportamentais

·         Facilidade de relacionamento;
·         Facilidade para aprender;
·         Boa comunicação;
·         Pró-atividade;
·         Capacidade de negociação;
·         Percepção aguçada;
·         Raciocínio lógico.

Responsabilidades e atribuições:
·         Gerenciar projetos internos à organização.
·         Iniciar, Planejar, apoiar a execução, supervisionar e finalizar projetos internos à empresa trabalhando com estrutura matricial e equipes multidisciplinares.
·         Apoiar a construção e manutenção do PMO da organização.
·         Negociar com empresas terceiras e com departamentos internos o time do projeto, mobilizando esses colaboradores, avaliando o seu desempenho nos projetos.
·         Apontar ocorrências e solicitações de mudanças dos projetos
·         Manter a diretoria da empresa informada sobre o andamento dos projetos, bem como informar de forma adequada a todos os envolvidos no projeto.
·         Identificar novas oportunidades de projeto dentro da organização.
·         Apoiar a priorização dos projetos dentro da organização

Enviar currículo com pretensão salarial para marcos.chiodi@sebsa.com.br

domingo, 15 de janeiro de 2012

Angry Birds com nacionalidades


sábado, 14 de janeiro de 2012

Ah não .... Michel Telo para nerds .... só faltava esta

Pessoal, incrível essa febre ... Quanto mais eu fujo dela mais ela me aparece.
Por esses dias, em frente à instituição que eu leciono havia um carro de som distribuindo CD de graça do dito cujo.
Agora, entro no site do programador real e vejo esta .....


for (int i = 0; i < 3; i++)
{
   Delicia delicia = new Delicia();

   delicia.AssimVoceMeMata();

   if (delicia.AiSeEuTePego())
   {
       // TODO: Não faz nada
    }

    if (delicia.AiAiSeEuTePego())
    {
       // TODO: Também Não faz nada
    }

    Balada balada = new Balada("Sabado");

    Galera galera = new Galera();

    galera.ComecarADancar(balada);

    MeninaMaisLinda meninaMaisLinda = balada.ObterMeninaMaisLinda();

    if(ObterCoragem())
    {
        ComecarAFalar(); // Sozinho???
     }
}

E eu, ao invés de inventar uma musica dessas ... resolvi estudar :-( ..... (brincadeira)

Qual é a primeira coisa que você faz quando liga o seu computador?

Esta é uma pergunta interessante.

No seu trabalho, qual é a primeira coisa que você faz quando liga o seu computador?
E na sua casa?

Poxa vida, acredito que a maioria responderá: ler meus emails, verificar o facebook ou twitter.

Eu concordo que é atentador .. principalmente naquelas empresas nas quais não há o menor plano de comunicação e o BIG BOSS sempre se comunica por email e um email do BIG BOSS pode até fazer chover ... Acreditem, ainda há empresas assim no Brasil e no mundo ... cruzes !!!!

Pois bem, vejam mais esta do Seth Godin sobre o assunto em questão:

"

The first thing you do when you sit down at the computer

Let me guess: check the incoming. Check email or traffic stats or messages from your boss. Check the tweets you follow or the FB status of friends.
You've just surrendered not only a block of time but your freshest, best chance to start something new.
If you're a tech company or a marketer, your goal is to be the first thing people do when they start their day. If you're an artist, a leader or someone seeking to make a difference, the first thing you do should be to lay tracks to accomplish your goals, not to hear how others have reacted/responded/insisted to what happened yesterday.
"

Entenda o final do projeto!

Esta eu vi no blog do Seth Godin.
É interessante o ponto de vista em declarar os projetos como um sistema aberto.
Óbvio que o PMBOK fala a mesma coisa que esta escrita logo abaixo, mas o Godin deixou mais fácil de entender
Um projeto sempre tem um fim. No final pode-se chegar ao sucesso ou ao fracasso. ambas as situações são "honrosas" e se o projeto falhou e você percebeu isso, não adie o final dele.

"

Declaring victory

Whenever you start a project, you should have a plan for finishing it.
One outcome is to declare victory, to find that moment when you have satisfied your objectives and reached a goal.
The other outcome, which feels like a downer but is almost as good, is to declare failure, to realize that you've run out of useful string and it's time to move on. I think the intentional act of declaring becomes an essential moment of learning, a spot in time where you consider inputs and outputs and adjust your strategy for next time.
If you are unable to declare, then you're going to slog, and instead of starting new projects based on what you've learned, you'll merely end up trapped. I'm not suggesting that you flit. A project might last a decade or a generation, but if it is to be a project, it must have an end.
One of the challenges of an open-ended war or the Occupy movement is that they are projects where failure or victory wasn't understood at the beginning. While you may be tempted to be situational about this, to know it when you see it, to decide as you go, it's far more powerful and effective to define victory or failure in advance.
Declare one or the other, but declare."

Você sabe o que é um Ultrabook?

Ultrabooks são computadores do tipo notebook, porém são muito mais:
1) portáteis
2) leves
3) finos
mantendo configurações semelhantes aos notebooks normais com processadores intel (por exemplo) core 3,5 e 7.
Há diversos modelos hoje no mercado e, agora em 2012, a CES trouxe esses ultrabooks como sensação do momento.
Veja abaixo alguns modelos que eu peguei lá no Digital Drops.

 
Ultrabook da dell - O Dell xps 13. Custa a partir de U$ 990,00

Este é o IdeaPad Yoga da lenovo. Um ultrabook que não sabe se também é um Ipad. Cerca de U$ 1200,00

Este é o ultrabook da Acer - Acer Aspire 3951 Ultrabook. Custa a partir de U$ 700,00


Aqui temo artigo completo do digital drops






Auto ajuda funciona - mais uma da Mentirinhas do Fabio Coala


Mais uma genial do meu amigo Roberto Kroll

www.robertokroll.com.br

Lenovo apresenta novo smartphone

Diretamente do digital drops


A Intel e a Lenovo apresentaram esta semana na CES 2012, em Las Vegas, o primeiro smartphone com processador Intel.
O Lenovo K800 vem com processador Intel Medfield 1.6GHz, tela 720p 4.5 polegadas touchscreen, câmera digital de 8 megapixel com ISO de até 3200, Bluetooth 3.0, GPS e o chipset Intel XMM 6260 com suporte para 21 Mbps HSPA+, quadband EDGE e pentaband 3G. O sistema operacional é o Android 2.3 Gingerbread.
O K800 vai ser vendido inicialmente na China no segundo semestre de 2012 por preço ainda não revelado.
Veja outros gadgets Lenovo aqui no Digital Drops.
Via intomobile.


Brasileiro fazendo sucesso no Japão com música pop

Para quem só conhece as músicas japonesas "clássicas" vejam AQUI este brasileiro fazendo sucesso na terra do sol nascente. Vale a pena conferir.


sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Oportunidade Embraer

Temos uma oportunidade para Engenheiro de Desenvolvimento de Sistemas
em plataforma Web.
O local de trabalho é Gavião Peixoto-SP e a contratação imediata.

Requisitos:
- Formação superior em Engenharia (deve ter CREA)
- Conhecimento de HTML, SQL e CSS
- Inglês fluente

Conhecimentos Desejáveis:
- HTML5, CSS3
- XML
- Web Standards, AJAX
- ColdFusion, Java

Experiência desejável:
- Desenvolvimento de aplicações web
- Banco de dados relacional
- Desenvolvimento Orientado a Objetos

Outras informações:
- Há linhas de ônibus da empresa para as cidades vizinhas a Gavião
Peixoto
(Araraquara, Américo Brasiliense, Matão, Ibitinga, Ibaté, São Carlos).
- Salário (CLT) compatível com o mercado de engenharia da região de
São José dos Campos + benefícios (Plano de Saúde e Odontólógico,
Seguro de Vida, Previdência, Participação nos Lucros entre outros  )

Os interessados devem enviar email, preferencialmente no formato PDF,
para antonio.espeschit@embraer.com.br

Reportagem sobre mercado de trabalho de TI

PEssoal, segue abaixo um artigo da CIO sobre o mercado de trabalho de TI. O artigo pode ser visto AQUI.
Reproduzi o texto logo abaixo:



Salários dos profissionais de TI no Brasil estão acima da média mundial

Consultorias revelam que a falta de talentos qualificados inflacionou salários com taxas de aumento de até 20%.

Edileuza Soares

Publicada em 11 de janeiro de 2012 às 08h14

O crescimento acima de 10% do mercado de TI no Brasil e a taxa cambial ajudaram a supervalorizar os profissionais do setor. Atualmente, os executivos brasileiros da faixa “C-Level”, que ocupam altos cargos, estão entre os que recebem os melhores salários em comparação com os que desempenham a mesma função em outros países, como Estados Unidos, Inglaterra e Cingapura, constatam pesquisas de consultorias de recursos humanos. A situação favorável do País tem despertando interesse de talentos estrangeiros a virem para cá, principalmente os de regiões onde a crise econômica reduziu as ofertas de emprego.  

Esse cenário aumentou ainda mais o custo da mão de obra de TI no Brasil, que já era considerado um dos mais altos do mercado mundial por conta da pesada carga de impostos. O encarecimento dos profissionais gera impacto em organizações que atuam com projetos globais. Alternativas estão sendo buscadas para minimizar o problema e companhias esperam que a Medida Provisória (MP) 540/11, sancionada pela presidente Dilma Rousseff, desonerando a folha de pagamento, ajude a reduzir gastos com recursos humanos.

A MP faz parte do Plano Brasil Maior lançado pelo governo federal para melhorar a competitividade de alguns segmentos da economia nos mercados local e externo. Entre os contemplados estão desenvolvedores de software e prestadores de serviços de TI que foram beneficiados com a substituição da taxa de 20% da contribuição previdenciária por uma cobrança de 2,5% sobre o faturamento. A isenção foi aprovada por um período de dois anos e vale até dezembro de 2014. 

“Estamos pagando mais para os profissionais porque o Brasil ficou muito tempo sem investir em TI. Hoje, nossos investimentos são duas vezes e meia maiores que a média mundial”, analisa Lucas de Toledo, gerente-executivo da divisão de Tecnologia da consultoria Michael Page, especializada na contratação de executivos. Ele constata que as companhias estão contratando especialistas e pagando mais para ter bons talentos. 

David Braga Dasein, gerente-geral da Dasein Executive Search, outra consultoria que recruta executivos do alto escalão, contabiliza que o volume das contratações de TI no Brasil só perde para o setor comercial. A busca por talentos é para atender à demanda das companhias do País que, segundo o instituto de pesquisas Gartner, vão aumentar em 10% os gastos com tecnologia até 2014. Para 2012, a consultoria estima que os investimentos serão da ordem de 143,8 bilhões de reais. 

Como o Brasil tem déficit de talentos de TI, Braga afirma que a escassez ajuda a inflacionar os salários. Isso em razão de os profissionais serem mais assediados. O professor do curso de pós-graduação da Fiap, Sérgio Alexandre Simões, que também é sócio da PriceWaterhouseCoopers (PwC) Brasil, acredita que o encarecimento da mão de obra no País é reflexo da valorização do real frente ao dólar e dos movimentos de formalização dos contratos trabalhistas. 

“Há cinco anos, os modelos de contratação de ‘PJ’ (Pessoa Jurídica) e ‘Pejotinha’ eram muito praticados no Brasil. Com o aumento dos processos trabalhistas, muitas companhias oficializaram os contratos e os profissionais ficaram mais caros. Pela CLT, eles custam o dobro para as empresas”, diz o consultor Simões.

Salários do mercado brasileiro
Uma confirmação de que as companhias estão pagando mais para os profissionais de TI é o Guia Salarial 2011-2012, realizado ela consultoria Robert Half, especializada em recrutamento de talentos. O estudo com organizações pequenas, grandes e médias constatou que os empregados do setor tiveram valorização salarial média em torno de 20% no último ano. 

Segundo a consultoria Robert Half, um dos motivos da valorização dos profissionais brasileiros é a alta demanda por TI no País nos diversos segmentos da economia, principalmente em áreas como Finanças, Indústria e Serviços. Os talentos mais reconhecidos são os que possuem perfis mais seniores e que, além de conhecimentos técnicos, têm visão estratégica. Ou seja, são os que sabem transformar tecnologia em negócios.

Os que sabem traduzir os anseios das linhas de negócios em projetos de TI e convencer o board sobre a necessidade de investimento em determinada área, são hoje os mais cotados. “O profissional que consegue mesclar excelência técnica com habilidades de negociação e comunicação, por exemplo, é muito demandado e está entre os mais valorizados em salário no último ano”, explica Maria Paula Menezes, gerente da divisão de TI da Robert Half. Ela dá o exemplo do teto salarial de um analista de negócios no nível de entrada que aumentou de 5 mil reais em 2010 para 6,5 mil reais em 2011.

O estudo “O mercado de profissionais de TI no Brasil”, que acaba de ser divulgado pela Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), revela que os salários do setor crescem acima da inflação na maioria dos estados desde 2003. Como resultado disso, a média mensal do salário de TI para quem tem nível superior é de 2.950 reais, quase o dobro da nacional que é de 1.499 reais.

As remunerações de TI variam de acordo com o estado. Um analista de desenvolvimento de sistemas, por exemplo, pode ganhar mensalmente 3.980 reais no Distrito Federal, 3.415 reais no Rio de Janeiro e 2.950 reais em São Paulo. Se essa mesma pessoa estivesse empregada no Paraná ou Bahia, seu salário seria mais baixo e em torno de 2,2 mil reais. Na média nacional, a remuneração desse profissional é 2.862 reais por mês.       

Apesar das boas oportunidades de emprego no setor, a evasão nos cursos superiores de TI chegou a 87% no País em 2010, segundo estudo da Brasscom. A associação mapeou o mercado de profissionais de TI em oito estados para analisar essa contradição e tentar entender as causas do déficit de mão de obra, com previsões de aumento em 2011 para 92 mil pessoas. 

Hoje, a demanda por talentos no País é maior do que o número de jovens que saem anualmente das universidades, agravando o problema da escassez por talentos qualificados. Um exemplo disso é o estado de São Paulo, que contratou 14 mil profissionais de TI em 2010 e as instituições de ensino formaram 10 mil estudantes. 

A pesquisa prevê que em 2014 haverá uma demanda por 78 mil profissionais de TI nas oito unidades da federação analisados (SP, RJ, PR, DF, MG, BA, PE e RS), enquanto que o número de formandos não alcançará nem a metade disso. As projeções indicam que apenas 33 mil estudantes de cursos na área sairão das universidades nos próximos três anos. Os únicos estados que terão talentos na quantidade necessária são BA, MG e PE.

O presidente da Brasscom, Antonio Rego Gil, é a favor de uma redistribuição das vagas nas universidades brasileiras, com cursos que atendam à demanda das empresas do setor e nos locais onde elas estejam instaladas. “As próprias companhias de TI podem reestruturar suas operações de acordo com o panorama apresentado pelo estudo”, orienta o executivo.

Em busca de alternativas 
O problema do déficit de profissionais de TI gera impacto para as companhias na hora de contratar novos talentos ou de realizar projetos globais, colocando por vezes o CIO brasileiro numa saia justa. Fernando Birman, diretor de Sistemas de Informação da Rhodia para a América Latina, admite que não é fácil justificar para matriz, na França, o alto custo da mão de obra do Brasil.

A Rhodia opera com times globais de TI. A subsidiária brasileira, que tem uma equipe de 90 profissionais, atende aos Estados Unidos e centros de competência mundial da fabricante. A realização de projetos é feita por um grupo misto de profissionais distribuídos pelo mundo para aproveitar as habilidades de cada um. O Brasil se destaca pela sua expertise no sistema de gestão empresarial (ERP) da SAP, em Business Intelligence e infraestrutura.

“Antes, o nosso custo não aparecia tanto e até dava para disfarçar. Agora, com a valorização do real, o custo do pessoal técnico do Brasil está próximo ao da Europa”, conta o CIO. Geralmente, os talentos envolvidos nos projetos globais são de nível sênior e com bagagem para atender às demandas da companhia.

A forma que ele encontrou para se defender é argumentar que não pode substituir os técnicos com muito conhecimento. “Eles conhecem os processos de negócio e são bons em qualquer lugar do mundo. Vamos ter dificuldade para encontrar talentos como esses não só no Brasil como nos Estados Unidos e Europa”, diz. 

Para convencer a matriz a não mexer no seu time, ele justifica que o Brasil deixou de ser “low cost” para tornar-se uma equipe de alta qualidade. Como não haverá corte, as contratações de nível sênior não aumentarão. A empresa investirá em novos talentos e tentará capacitá-los de acordo com as necessidades da Rhodia.

Interesse dos estrangeiros 
Assim como a Rhodia, outras multinacionais estão buscando alternativas para equilibrar o alto custo da mão de obra de TI no Brasil. Algumas estão repatriando talentos que estão no exterior e outras até procurando profissionais mais baratos em outros mercados. 

Lucas Toledo, da Michael Page, informa que algumas fazem outsourcing de talentos localizados em outros países e até de mercados vizinhos na América Latina. Ele constata que o processo de imigração é caro e que as empresas têm de oferecer ao empregado uma contrapartida para que ele se mude para o Brasil. Por isso, os convites para transferência de estrangeiros para cá são mais para executivos do alto escalão.

Mesmo assim, as consultorias estão sendo bombardeadas por candidatos estrangeiros a uma vaga no mercado local. “Recebo uma média de 40 currículos por dia de profissionais de TI de diversos níveis querendo trabalhar no Brasil”, informa Braga, da Dasein Executive Search.

“Chega diariamente por aqui entre dez e 15 currículos só de candidatos de TI”, contabiliza Toledo, da Michael Page. Segundo ele, a procura é maior por talentos entre 25 e 35 anos, que estão mais dispostos a fazer mudanças e correr riscos. 

“Somos menos procurados pelos heads, mas já fomos acionados por CIOs de bancos dos EUA, querendo vir para o Brasil”, revela Toledo. Eles sentem-se atraídos pelas oportunidades de emprego e perspectivas de ganhos. “Vários heads de TI do Brasil têm salários maiores que os que atuam nas matrizes, no exterior”, afirma o headhunter. Eles consideram a situação favorável do Brasil e a maturidade do mercado interno em TI oportunas para evoluírem na carreira. 

Quando vêm para cá, nem todos conseguem se adaptar ao ritmo de trabalho dos executivos brasileiros, acostumados com as longas jornadas. “Alguns gestores trabalham até às 23 horas e essa realidade não é vivida por outros países”, constata. 

Em sua opinião, o brasileiro trabalha mais não por ser improdutivo ou gerenciar mal o seu tempo, mas porque é obrigado a lidar com a ineficiência operacional do Brasil. O executivo tem de conhecer a burocracia logística, os problemas tributários e administrar todas as dificuldades do País. “Os executivos brasileiros têm maestria para gerenciar problemas em tempos de crise. Eles são competentes e tudo isso impacta nos salários”, afirma o headhunter da consultoria internacional Dasein.